REGULAMENTO TAÇA DAS FAVELAS DE SÃO PAULO - 2019

  • DAS FINALIDADES

    Art. 1º A Taça das Favelas é uma realização da Central Única das Favelas. A CUFA é uma instituição de caráter social, cultural e esportivo presente em todo território nacional. Desenvolve e promove atividades com as comunidades nos campos da saúde, educação, cultura, desporto, cidadania, e desenvolvimento humano, na perspectiva da promoção da melhoria da qualidade de vida e cidadania plena.

    Parágrafo Primeiro - Na categoria masculina as seleções deverão ser compostas por jovens nascidos em 2001, 2002, 2003, 2004, 2005. Portanto, a referência é somente ao ano de nascimento, não a data em que o jovem fará 18 ou 14 anos. Porém, cada seleção poderá ter apenas 5 jogadores nascidos em 2001 entre os 22 relacionados para cada partida.

  • DA PARTICIPAÇÃO

    Art. 2º – Poderão se inscrever na Taça das Favelas, temporada 2019, todas as favelas situadas no estado São Paulo, estejam elas em áreas nobres, periferias ou subúrbios.

    Parágrafo Primeiro - Na categoria masculina, as equipes deverão ser compostas por jovens nascidos em 2002, 2003, 2004, 2005. Portanto, a referência é somente o ano de nascimento, não a data em que o jovem fará 18 ou 14 anos. Cada seleção poderá ter 5 jovens nascidos em 2001.

    Na categoria feminina, as seleções deverão ser compostas por mulheres com idade igual ou superior a 14 anos.

    Parágrafo Segundo - Caso alguma seleção desista de participar do evento, esta será substituída por outra favela. 

     Parágrafo Terceiro - É obrigatória a participação da comunidade na cerimônia de abertura, no encerramento, no congresso técnico e no workshop, respeitando as normas que serão definidas no site do evento, com intuito de reforçar o caráter cívico, cultural, de solidariedade e educacional.

  • DA INSCRIÇÃO

    Art. 3º  – As inscrições serão realizadas através de uma ficha de cadastro virtual, que se encontra no site da Taça das Favelas SP (www.tacadasfavelas.com.br), poderão se inscrever moradores de favelas, lideranças ou organizações esportivas que atuem na comunidade (mas terá que ser representada por um morador no momento da inscrição).  Vale lembrar que essa inscrição não garante a participação da comunidade na competição, as seleções serão convidadas para reunião de avaliação com a diretoria da instituição e o resultado final das avaliações será comunicado dia 25 de fevereiro no site do projeto.   

    Parágrafo Primeiro -  A Comissão Organizadora descreve nesse parágrafo que todas as comunidades inscritas serão avaliadas até serem escolhidas, citaremos alguns critérios como: compromisso com ações sociais, garantia de segurança para os participantes, envolvimento da comunidade, garantia de equipamentos como: redes, árbitros da comunidade, em ocasião dos DIPEs (Dia de Peneiras). Portanto, a decisão dos participantes na competição acontecerá somente depois que todas as lideranças e produção refletirem sobre o passo a passo do projeto, por fim, prosseguir ou não como candidatos à vaga.

    Parágrafo Segundo - A Comissão Organizadora se reserva ao direito de encerrar as inscrições antes do prazo em decorrência de eventual excesso de inscritos.

    Parágrafo Terceiro - Em data oportuna, será divulgada no site www.tacadasfavelas.com.br e no Facebook oficial da Taça a relação das 96 favelas escolhidas para participarem da Taça das Favelas São Paulo 2019. Serão 64, na categoria masculina, e 32, na categoria feminina.

    Parágrafo Quarto - Depois de divulgadas as 96 favelas, será feita uma reunião convocada pela CUFA/ InFavela, em data posteriormente comunicada, para a confirmação das inscrições das comunidades.

    A ausência de algum representante da comunidade na reunião, incide na desclassificação automática.

  • DAS DISPUTAS

    Art. 4º  – Taça das Favelas será dividida em 2 (duas) categorias: masculina e feminina.

    Parágrafo Primeiro – A Taça das Favelas será disputada na modalidade futebol. As equipes não poderão em nenhuma hipótese ser mistas (compostas por meninos e meninas).

    Parágrafo Segundo – Na categoria feminina, cada seleção poderá contar com no máximo 30 atletas, e no mínimo 18. Sendo que 8 atletas terão obrigatoriamente que residir na favela classificada. As outras 20 atletas poderão residir em qualquer bairro ou local do Brasil.

    Art. 1º Uma vez tendo defendido uma seleção, essas moças não poderão jamais defender outra favela na mesma competição.

    Parágrafo Terceiro – Na categoria masculina, a seleção masculina poderá contar com 30 atletas no máximo e no mínimo 18. Apenas 5 jogadores poderão residir fora da favela classificada, porém, todos eles deverão morar em alguma favela e deverão apresentar comprovante sob risco de pena de desclassificação da sua equipe. No caso da participação de atletas de outras favelas, será necessária uma autorização da produção para tal participação. Caso um desses jogadores seja de fora do complexo e participe sem autorização expressa, será considerado fraude, o que elimina a seleção.

  • DAS COMPETIÇÕES

    Art. 5º  – A Taça das Favelas ocorrerá em 2 (duas) fases: A primeira consiste no Dia da Peneira – DIPE e a outra fase é a dos torneios. O cronograma dos jogos será disponibilizado no site e nas redes da Taça.

  • AS COMPETIÇÕES

    Art. 6º – A disputa do torneiro masculino da competição ocorre no sistema mata-mata, desde sua primeira rodada. Os confrontos serão definidos por sorteio na presença de convidados.

    Quando chegarmos à fase de Quartas de Final, os confrontos serão formados a partir do desempenho das equipes, que conseguirem chegar a essa fase, nas partidas anteriores. Será feito um ranking de primeiro a oitavo colocado com base nos seguintes critérios de desempate: Pontos Totais (pontos de jogo + pontos sociais), Número de Vitórias, Saldo de Gols, Gols a Favor, menos cartões vermelhos e, por fim, menos cartões amarelos, caso o empate se mantenha, haverá sorteio.

    A equipe em primeiro enfrentará a oitava, a segunda enfrentará a sétima, a terceira enfrentará a sexta e a quarta colocada enfrentará a quinta.

    Na semifinal, o vencedor do duelo envolvendo o primeiro colocado enfrentará o vencedor do duelo envolvendo o quarto colocado. Os vencedores dos duelos envolvendo o segundo e o terceiro colocados se enfrentam na outra semifinal.

    No feminino, as 32 seleções também jogarão no sistema de mata-mata a serem definidos por sorteio, com a participação de convidados.

    Quando chegarmos à fase de Quartas de Final, os confrontos serão formados a partir do desempenho das equipes, que conseguirem chegar a essa fase, em partidas anteriores. Será feito um ranking de primeiro a oitavo colocado com base nos seguintes critérios de desempate: Pontos Totais (pontos de jogo + pontos sociais), Número de Vitórias, Saldo de Gols, Gols a Favor, menos cartões vermelhos e, por fim, menos cartões amarelos, caso o empate se mantenha, haverá sorteio.

    A equipe em primeiro enfrentará a oitava, a segunda enfrentará a sétima, a terceira enfrentará a sexta e a quarta colocada enfrentará a quinta.

    Na semifinal, o vencedor do duelo envolvendo o primeiro colocado enfrentará o vencedor do duelo envolvendo o quarto colocado. Os vencedores dos duelos envolvendo o segundo e o terceiro colocados se enfrentam na outra semifinal

    Classificação 2020 - Durante a competição, a CUFA convidará as seleções para ações sociais paralelas. As equipes que cumprirem todas as missões estarão garantidas na próxima competição, além das 16 melhores classificadas.  As favelas que não cumprirem as ações e não se classificarem entre as 16 darão lugar a novas favelas inscritas no próximo ano, e só poderão se inscrever após ficar uma competição de fora.  

    Casos de empate:  Em caso de empate nas partidas, haverá disputa de pênaltis. Serão três cobranças para cada lado e caso permaneça empatado, haverá cobranças alternadas até que alguém desperdice.

    - Dos cartões amarelos

    A cada três cartões recebidos o jogador (a) ficará de fora a próxima partida.

    * Para a grande final todos os cartões serão zerados.

     Dos cartões vermelhos - a cada cartão recebido o jogador (a) ficará de fora por duas partidas.

    Art 7º – As equipes deverão estar obrigatoriamente uniformizadas.

    Parágrafo Primeiro– Entende-se por devidamente uniformizadas as equipes cujos atletas se apresentarem calçados, trajando camisa, chuteiras, calção, meião e caneleira.

    Parágrafo segundo - Material Esportivo - As equipes deverão disputar com seus próprios uniformes, até que a TF – conclua possíveis parcerias com fornecedores de material esportivo.  Caso isso ocorra, a produção irá fornecer todo o material esportivo para todas as equipes e nesse caso o uso será obrigatório.   

    * Será permitido marcas de patrocinadores nos uniformes das seleções.

  • DA MODALIDADE

    Art. 9º – Cada equipe deverá contar com 30 (trinta) atletas - do sexo masculino ou feminino - para disputar a competição. Porém, no banco de reserva poderão permanecer no máximo 11 jogadores(as), e 5 pessoas da equipe técnica.

    Parágrafo Primeiro– As substituições de todos os jogadores do banco de reservas poderão ser livres. O jogador que for substituído não poderá retornar ao campo de jogo.

    Parágrafo Segundo– Assistentes e dirigentes dos times participantes devem ser maiores de 18 anos, podendo ser de todos os gêneros.

    Art. 10º – Nas disputas dos jogos na categoria masculina, as durações das partidas serão de 30 (trinta) minutos cada tempo, respeitando um intervalo de 10 (dez) minutos;

    Jogo Final: Serão 2 (dois) tempos de 45 (quarenta e cinco) minutos cada, respeitando um intervalo de 15 (quinze) minutos entre eles.

    Art. 11º – Nas disputas dos jogos na categoria feminina, a duração das partidas serão de 2 (dois) tempos de 30 (trinta) minutos cada, respeitando um intervalo de 10 (dez) minutos entre eles;

    Jogo Final: Serão 2 (dois) tempos de 40 (quarenta) minutos cada, respeitando um intervalo de 15 (quinze) minutos entre eles.

    Art. 12º - Durante a competição, em caso de empate em uma partida, haverá cobrança de uma série de 3 (três) pênaltis alternadamente.

    Permanecendo o empate, será realizada uma cobrança para cada lado até que algum atleta desperdice.   

    Art. 13º - Qualquer produtor da Taça das Favelas tem poderes para pôr na súmula do árbitro informações sobre atletas, torcedores, comissão técnica, entre outras informações, podendo levar à punição.

    Art.  14º- Atos de indisciplina tais como: agressão física e verbal, invasão de campo de torcedores, organização de tumultos ou brigas dos jovens participantes dos sexos masculino e feminino, técnicos ou dirigentes, implicará na desclassificação automática da equipe no evento, ainda que seja no caminho para os jogos ou nas suas residências. A exclusão se estende ainda em casos de depredação de patrimônios públicos ou privados.

  • DA PREMIAÇÃO

    Art. 15º – Serão premiadas as três melhores seleções (masculina e feminina) da seguinte forma:

    Primeiros colocados - R$ 5.000,00

    Segundos colocados R$ 3.000,00

    Terceiros colocados - R$ 2.000,00

    Parágrafo Único: A Comissão Organizadora também irá premiar aqueles que se destacarem na disputa da competição da seguinte forma:

    (a) Artilheiro(a) da competição: R$ 1.000,00

    (b) Melhor jogador(a) da competição: R$ 1.000,00

    (c) Melhor treinador(a): R$ 1.000,00

  • ORGANIZAÇÃO DA COMPETIÇÃO

    Art. 16º - No sorteio das chaves serão divulgados:

    (a) Regulamento da Taça das Favelas;

    (b) Tabelas com o cronograma dos jogos, locais, horários e confrontos.

    A Comissão Organizadora ministrará workshops de capacitação para atletas, técnicos e representantes das comunidades, com programação a ser divulgada posteriormente nas redes sociais oficiais.

  • DAS PROIBIÇÕES

    Art. 17º Não será permitido o uso de rojões e fogos de artifício por parte da torcida, jogadores e comissão técnica, uma vez que os jogos ocorrem em espaços públicos com circulação de crianças.

    Art. 18º Não será permitido subir nos alambrados do campo. Tanto torcedores como jogadores.

    Art. 19º Não será permitida nenhuma  manifestação de caráter discriminatório.

    Art. 20º Não será permitida nenhuma manifestação de caráter político-partidário.

    Art. 21º Não será permitida a participação de jogadores não registrados na competição.

    Art. 22º Não será permitida a participação de jogadores (do sexo masculino) não moradores de favelas.

    Art. 23º Não será permitido agressão corporal. Ocorridas fora de campo serão responsabilidade das respectivas seleções e sua comissão técnica.

    Art. 2º Não será permitida a manipulação de resultados.

  • DISPOSIÇÕES FINAIS

    Art. 25º - Os participantes concordam em autorizar o uso de imagens, voz e performance, com divulgação no site, anúncios em jornais, canais televisivos, documentários da Taça, fotos, vídeos, revistas e qualquer outro material audiovisual, para a Taça das Favelas, sem nenhum ônus para as empresas/entidades organizadoras e patrocinadoras.

    Art. 26º - O presente regulamento estará disponível no site do evento. Eventuais dúvidas relacionadas à competição e seu regulamento poderão ser esclarecidas através do item Fale Conosco do site www.tacadasfavelas.com.br e em nossas redes sociais oficiais.

    Art. 27º - Para todos os efeitos legais, os participantes do evento declaram que as informações transmitidas no ato das inscrições são verídicas, isentando a CUFA e seus parceiros de qualquer informação ou demanda que porventura venha a ser apresentada em juízo ou fora dele.

    Art. 28º - A Comissão Organizadora reserva o direto de interromper o andamento da competição e alterar este regulamento, se assim julgar necessário em virtude de acontecimentos de força maior. Caso não haja concordância com os novos termos do regulamento ou com eventual interrupção, o participante poderá cancelar sua inscrição estando assim liberado das obrigações assumidas.

    Art. 29º - A participação na Taça das Favelas SP não irá garantir às comunidades nenhum outro direito ou vantagem que não estejam expressamente previstos neste regulamento.

    Art. 30º – As infrações, ocorrências e recursos registrados no transcorrer do evento serão processados e julgados por uma Comissão de Disciplina, que será formada por um (01) representante de cada seleção, com base nas súmulas dos jogos, nos relatórios dos árbitros e nos informes da coordenação técnica.

    Parágrafo Único – As comunidades participantes da competição reconhecem a Comissão Organizadora como única e definitiva instância para resolver as questões da Taça das Favelas de São Paulo, desistindo ou renunciando expressamente de recorrer a qualquer outra instancia.

    Art. 31º- A participação na Taça das Favelas implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste presente regulamento.

    Parágrafo Único - As comunidades, os professores/treinadores e seus atletas devem, obrigatoriamente, conhecer esse regulamento e as regras oficiais aplicadas ao futebol que fazem parte da programação do evento.

    Art. 32º -- As situações que estiverem omissas neste regulamento serão resolvidas pela Comissão Organizadora do evento, que será composta por membros designados pela CUFA e seus parceiros.

    Art. 33º  O evento da CUFA é privado e não cobra nenhuma taxa de participação. Ou seja, nenhum atleta paga taxa de inscrição, taxa de arbitragem ou aluguel de campo.

    Art. 34º - Para fazer cobertura dos jogos com fotos, vídeos ou transmissão é necessário o credenciamento no site www.tacadasfavelas.com.br no menu “Inscrições > Cadastro de Imprensa”.

    .





Taça das Favelas 2019 - Todos os direitos reservados.