Vai começar Taça das Favelas Minas 2018

04 ABR 2018



Depois do grande sucesso da sétima edição da Taça das Favelas do Rio de Janeiro, no próximo sábado, dia 7 de abril, vai começar a segunda Taça das Favelas Minas. O torneio, que é organizado pela Central Única das Favelas de Minas Gerais (CUFA Minas) será realizado de 8h às 18h, nos dias 7, 8, 14, 15, 21, 22, com a semifinal acontecendo dia 28 e a grade final em 29 de abril no Complexo Poliesportivo do Vale do Jatobá (Avenida Senador Levindo Coelho, 2280 – Mangueiras/Vale do Jatobá), contando com a participação de 32 seleções, divididas entre as categorias masculina e feminina, representando favelas de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

 

A prática do esporte como forma de fortalecer os laços entre as favelas, bem como o senso de pertencimento e cidadania dos jovens, gerando oportunidades para novos talentos do futebol, são alguns dos objetivos da Taça, por isso na noite da última terça-feira, dia 3 de abril, foi realizado um workshop da Taça das Favelas Minas no Centro de Referência da Juventude (CRJ), Centro de Belo Horizonte.

 

No evento foram reforçadas as regras do torneio, foi feito o sorteio e treinadores e jogadores assistiram palestras de grandes personalidades do esporte mineiro e nacional como Rogério Corrêa, Jornalista e Narrador Esportivo da Globo Minas, Ricardo Sapi, Secretário de Estado de Esporte de Minas Gerais, Alexandre Galo, Diretor de Futebol do Clube Atlético Mineiro, Renê Salviano, Diretor de Novos Negócios e Negócios Internacionais do Cruzeiro Esporte Clube, Márcio Nazario, Gerente de negócios do Sicoob Credimonte, Alexandre Bernardes, Gerente administrativo do Sicoob Credimonte, Aluizer Malab, Presidente da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte – Belotur, Paola Abreu, Diretora de Políticas para as Juventudes de BH, Márcia Maria Cruz - Coordenadora do Curso de Jornalismo no Centro Universitário UMA, entre outros.

Para a Presidenta Estadual da CUFA Minas Gerais, Marciele Delduque, o projeto já é vitorioso por incentivar a prática do esporte e gerar oportunidades profissionais e de visibilidade para os jovens atletas.

 

“Mais importante que o evento, é a possibilidade desses jovens se integrarem com outros jovens de outras comunidades, e participarem de um processo de formação, qualificação e convivência, pois o momento do torneio passa mas o conhecimento adquirido continuará com eles ao longo da vida,” enfatiza.

 

Francislei Henrique, Diretor Geral do projeto, pontua que a ação fortalece justamente o potencial organizacional das favelas.  “A primeira edição do projeto já demonstrou seu potencial e seu sucesso, o projeto reverberou em todo o estado, e passamos a ser procurados por centenas de pessoas que desejavam levar a competição torneio para suas cidades”, conclui.  

 

As seleções inscritas e selecionadas para a edição 2018 são:

 

Seleções Femininas

Alto Vera Cruz, Cabana do Pai Tomaz, Complexo Minas Caixa, Aglomerado Santa Lucia, Vila Pinho, Jardim Leblon, Aglomerado da Serra, Paulo VI, Morro das Pedras e Morada da Serra.

 

Seleções Masculinas

Complexo Capitão Eduardo, Jardim Leblon, Complexo Minas Caixa, Mariano de Abreu, Complexo São Mateus, Complexo Antena Borel, Vila Pinho, Aglomerado Santa Lucia, Aglomerado da Serra, Alto Vera Cruz, Granja de Freitas, Complexo São José, Conjunto Santa Maria, Morro das Pedras, Conjunto Taquaril, Vila Corumbiara, Ventosa, Paulo VI, Cabana do Pai Tomaz, Complexo Alvorada, Vila Tiradentes (PPL) e Vale do Jatobá.

 

Histórico de construção e vitórias

A primeira edição do Taça das Favelas Minas aconteceu em Janeiro/Fevereiro de 2017, no campo do Aglomerado Santa Lúcia, e logo no inicio apresentou resultados positivos: foram mais de 120 comunidades inscritas, 32 selecionadas, 12800 jovens envolvidos, com um alcance de mídia em 165 municípios com 21,2 milhões de pessoas atingidas pelas notícias divulgadas sobre o torneio.

 

A CUFA criou o torneio em 2012, no Rio de Janeiro, como forma de fortalecer os laços e transformar o contexto social dos jovens moradores de favelas e periferias, potencializando as oportunidades para os mesmos.

 

 A iniciativa tem transformado de forma muito positiva, a realidade das comunidades por onde passou, incentivando não apenas a prática do esporte, mas o censo de cidadania entre os jovens que passam a perceber o seu papel de construção junto aos seus pares. O histórico de sucesso da Taça das Favelas traz também trajetórias inspiradoras de jovens talentos que foram revelados justamente através dessas ações, como Matheus Alessandro, atacante do Fluminense, que jogou a Taça das Favelas Rio pela Vila Vintém, em 2012, Erick Brendon, jogador do América (RJ) que foi revelado na Taça das Favelas de 2012, quando representou o Complexo do Alemão, e Matheus Norton, que jogou em 2013 e em 2015 se destacou no Torneio de Terborg na Holanda. Carlos Gabriel foi destaque na Taça das Favelas DF em 2016, e em 2018 ano jogou a Copa São Paulo de Futebol Junior pelo Clube Atlético Mineiro. Atletas da seleção do Alto vera Cruz, time vitorioso na categoria feminina da Taça das Favelas em 2017, realizaram o sonho de jogar no exterior. Bruna Carolina de Oliveira está no Braga de Portugal e Vitória Cristina Alves joga nos EUA, pela Faculdade de Lowa Central Community College.

 

CIDADES

Já foram realizadas 7edições no Rio de Janeiro e chegou a reunir 240 comunidades com um total de 96 mil jovens.  Desde então a Taça foi levada para outras regiões do país, chegando a lugares como:  Distrito Federal, onde a Taça conta com duas edições realizadas, no Ceará onde o torneio chega à sua 5ª edição em 2018, e em cidades como Recife (PE) e Peixoto do Azevedo (MT) com uma edição realizada até o momento.

Curitiba (PA) e em Cuiabá(MT) têm edições previstas ainda para 2018. 

Em Minas Gerais, além de Uberlândia, onde já acontecia a competição, em 2015 e 2016, a CUFA levou o projeto também para o sul do Estado, na cidade de São Lourenço.

 

CUFA – Central Única das Favelas é uma organização sólida, reconhecida nacional e internacionalmente pelas esferas políticas, sociais, esportivas, culturais e, recentemente, também pelo empreendedorismo social. Foi criada a partir da união entre jovens de várias favelas – em sua maioria negros – que buscavam espaços para expressarem suas atitudes, questionamentos ou simplesmente sua vontade de viver.

 

Taça das Favelas Minas - é uma competição de futebol de campo entre 32 seleções compostas por moradores de favelas com idades entre 14 e 17 anos para as seleções masculinas e a partir de 14 anos, sem limites de idade, para as seleções femininas. O objetivo da Taça das Favelas é promover a integração dessas favelas através do esporte e, claro, descobrir talentos para o futebol. Afinal, grandes gênios da bola vieram da periferia das grandes cidades.

 

Além disso, proporciona uma visibilidade ainda maior para territórios conhecidamente férteis na revelação de novos talentos esportivos. Sem falar da contribuição efetiva no aumento da autoestima dos envolvidos.

 

A Taça das Favelas Minas 2018 é viabilizado através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte de Minas Gerais, com Patrocínio da CEMIG, da Prefeitura de Belo Horizonte, Belotur. Parceria: FVV Agência Minas, Shopping Uai, Comunidade Door, CUFA Card, Una Liberdade e SICOOB. Apoio: Globo Minas

Promoção: Radio BH FM

Realização: CUFA MG

Fotos: André Cavalero

 

Serviço:

Taça das Favelas Minas 2018

Datas:  Jogos nos dias 7, 8, 14, 15, 21, 22  de abril/Semifinal dia 28 de abril/ Final dia 29 abril  - de 8h às 18h

Local: Complexo Poliesportivo do Vale do Jatobá  
Endereço: Avenida Senador Levindo Coelho, 2280 – Mangueiras/Vale do Jatobá

 

Mais informações: http://tacadasfavelasminas.com.br





Taça das Favelas 2018 - Todos os direitos reservados.