Voa, Patativas

26 de Julho de 2019



Favela que ficou em terceiro lugar, em 2018, neste ano, busca o título

por Fernanda Fragoso* e Paula Isabel*

 

 

A ideia de montar o time partiu de Denilson Santos, fundador do projeto, que há seis anos enxergou no esporte uma alternativa para os meninos da favela. Conjunto leva o nome de Patativas, porque na sua construção, durante o governo de Carlos Lacerda, havia muitos pássaros da espécie patativas.

Fora do campo, existe muita interação e afeto entre os jogadores e sua liderança. No dia em que o entrevistamos, Denilson estava realizando uma festa julina para os garotos do projeto. Mais uma das diversas confraternizações e brincadeiras que rolam além das quatro linhas. Dois jogadores que se destacaram nessa edição da Taça foram os atacantes) e Kléber). A dupla dominou as partidas e deu um show no contra-ataque. Ao falar dos meninos, Denilson se emociona e conta um pouco da trajetória dos dois até aqui. “O Diogo é uma grande conquista nossa porque ele tem uma vida muito difícil. Mora em um cômodo com a mãe e mais cinco irmãos. Tinha parentes envolvidos com tráfico e ele estava quase partindo para o lado ruim. Mas graças a Deus conseguimos trazer ele para lado do bem através do futebol. Como jogador, é um garoto muito esforçado, dedicado e a cada treino tenta melhorar para conseguir uma oportunidade no futebol**. Para assim tentar melhorar a estrutura da sua família. O Kléber é um garoto de superação pura. Mesmo com pouca idade, ele já trabalha para ajudar sua família e, mesmo assim, com sua rotina cansativa, não perde um treino porque ainda sonha em ter sua oportunidade no futebol. Ele também é muito merecedor”.

Denilson também fala sobre a importância da Taça das Favelas para o time, que considera o campeonanto como o sonho de todo jogador da comunidade. “Chegar na final é uma honra tão grande que é imensurável falar a importância. Esperamos o ano inteiro, nos preparamos para esse grande momento”.

Quando perguntado sobre as expectativas para a final, Denilson responde que são as melhores. O time está trabalhando duro para fazer uma ótima partida. “Independentemente do resultado, estou orgulhoso demais com a vontade e perseverança do time pois nunca nos acomodamos. Vamos em busca desse título. Determinação, coragem e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso. Se estamos possuídos por uma inabalável determinação, conseguiremos superá-los. Independentemente das circunstâncias, devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho. E como diz nosso lema, O FÁCIL NÃO CABE A NÓS" encerra Denilson.

*Voluntárias sob supervisão da Assessoria de Comunicação da CUFA.

** Nota: Até o fechamento desta notícia, Diogo estava fazendo testes no Palmeiras.





Taça das Favelas 2019 - Todos os direitos reservados.